Affen  


Português | English | Francais | Dutch
 
 

 
 
 

QUE É A AFFEN ?

Quem tomou a iniciativa de criar a Affen?

Porquê criar uma tal associação?


Algumas ideias importantes que propomos para o sucesso e bom funcionamento da Affen.


Objectivos concretos da Affen a curto, médio e longo prazos.


O primeiro passo da Affen.

Apelo à adesão!

 

 

 

 

 

[topo]

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

[topo]

 

A Affen, Associação Portuguesa de Filosofia Fenomenológica, é uma sociedade científica fundada em 25 de Novembro de 2000 por iniciativa de um grupo de investigadores oriundos de nove universidades portuguesas (oito públicas e uma concordatária), que tem como objectivo fomentar a investigação na área da fenomenologia. O objecto de estudos, a fenomenologia, é entendido num sentido abrangente e aberto, comportando não apenas os grandes filósofos do movimento fenomenológico (Husserl, Heidegger, Merleau-Ponty), mas igualmente pensadores de correntes hermenêuticas (Gadamer ou Paul Ricoeur, por exemplo), filósofos mais dificilmente classificáveis mas com fortes ligações à fenomenologia, assim como os teóricos que aplicam métodos ou conceitos fenomenológicos em áreas como a psicologia, a psicanálise, a sociologia ou, mais recentemente, as chamadas cognitive sciences (não tendo esta enumeração a pretensão de exaustividade).


Quem tomou a iniciativa de criar a Affen?


Os iniciadores da Affen reuniram-se numa Comissão Instaladora, que é constituída pelos seguintes membros (por ordem alfabética):
Prof. Doutor Pedro M. S. ALVES (UL), Prof.a Doutora Irene BORGES DUARTE (UE), Prof. Doutor José Luís BRANDÃO DA LUZ (UAçores), Prof.a Doutora Maria José CANTISTA (UP), Prof. Doutor Tito CARDOSO E CUNHA (UNL), Prof. Doutor Acílio ESTANQUEIRO ROCHA (UM), Prof. Doutor Fernando GIL (UNL), Dr. Carlos MORUJÃO (UCP-Lisboa), Prof. Doutor João PAISANA (UL), Prof.a Doutora Maria Luísa PORTOCARRERO (UC), Prof. Doutor José Manuel SANTOS (UBI), Prof. Doutor José Henrique SILVEIRA BRITO (UCP-Braga).


Porquê criar uma tal associação?

Para além do simples facto de não existir nenhuma outra na mesma área e de o incremento da investigação em fenomenologia ser uma necessidade evidente, cabe frisar a falta, em Portugal, de associações científicas representativas na área da filosofia, o interesse de uma tal associação para o intercâmbio universitário no país (intercâmbio cujo nível, como se sabe, é, infelizmente, fraco), assim como a existência de sociedades ou associações de investigação fenomenológica em países com os quais Portugal, por razões culturais ou geográficas, tem relações estreitas, como, por exemplo, o Brasil ou a Espanha.


Algumas ideias importantes que propomos para o sucesso e bom funcionamento da Affen.

Criar uma associação aberta a todas as correntes do pensamento fenomenológico assim como à discussão e ao diálogo teórico produtivo com os investigadores de outras correntes filosóficas, sejam eles filósofos ou cientistas da área ciências exactas, das ciências naturais ou das ciências humanas.
Fazer com que na Affen e nos seus órgãos estejam representadas todas as universidades portuguesas que contam com docentes cientificamente interessados na fenomenologia e a desenvolver investigação nesta área. A Affen é uma associação que representa investigadores de todo o país (de Braga a Évora e de Ponta Delgada à Covilhã), devendo, por conseguinte, ter uma organização flexível e não centralista.
Admitir como membros da Affen estudantes de filosofia dotados, particularmente motivados e interessados pelo movimento fenomenológico ou algum dos seus grandes pensadores.
Admitir como membros da Affen não só docentes universitários, mas igualmente docentes do ensino secundário, assim como pessoas com outro estatuto profissional, ou mesmo sem estatuto profissional definido, mas com perfil científico adequado, interessados por fenomenologia e empenhados em desenvolver investigação nessa área.


Objectivos concretos da Affen a curto, médio e longo prazos.

O objectivo mais concreto da Affen é a realização de congressos científicos temáticos com uma periodicidade bianual. O primeiro congresso da Affen deverá ter lugar em Outubro/Novembro de 2001 ou, o mais tardar, no primeiro semestre de 2002.
No intervalo dos congressos, a Affen poderá tomar a iniciativa, caso os seus órgãos directivos e a maioria dos membros assim o decidam, de publicar uma revista científica, cuja linha editorial reflectirá, obviamente, a investigação feita na área, em Portugal e no estrangeiro.
Uma outra iniciativa que poderá surgir com a consolidação da Affen será a criação, em parceria com uma editora, de uma ou mais colecções, destinadas à publicação de traduções de obras clássicas de grandes pensadores da fenomenologia, assim como de trabalhos de investigadores portugueses nesta área. Neste último caso, deverá ser estimulada a publicação de trabalhos de jovens investigadores, nomeadamente de teses de doutoramento, mas não só.


O primeiro passo da Affen.


A Comissão Instaladora , composta pelos membros referidos, redigiu um projecto de estatutos . O segundo passo dado, o qual foi, juridicamente, o primeiro na vida da Affen, concretizou-se pela realização da Assembleia Geral dos sócios-fundadores. Essa assembleia, que aprovou os Estatutos e procedeu à eleição dos órgãos da Affen, teve lugar no dia 25 de Novembro de 2000, pelas 14,30h, no CENTRO UNIVERSITÁRIO PADRE MANUEL DA NÓBREGA, Couraça de Lisboa, nº 101, 3900 COIMBRA (perto do Instituto Justiça e Paz).


Apelo à adesão!

Se se interessa por fenomenologia ou pela obra dos grandes pensadores deste movimento filosófico, adira à Affen!
Informe os colegas na sua Universidade sobre a existência e os fins da novel associação.
Qualquer correspondência pode ser enviada para o seguinte endereço electrónico: affen@bocc.ubi.pt
As suas perguntas e/ou sugestões serão sempre bem-vindas.